Tabela FIPE: a polêmica do valor de mercado

Certamente vários de nós já nos deparamos com um situação delicada na hora de renovação do seguro: ao adotar o critério de versões exclusivamente de acordo com o nível de equipamentos oferecidos, sem nomenclaturas (ex: LXL ou GLi, como Honda e Toyota), a Kia permite que a FIPE considere o Cerato única e exclusivamente de acordo com o tipo de câmbio utilizado.

Ou seja: na hora de renovar um seguro, não há diferenciação de valores entre uma versão como a E.221 (manual de entrada) com a E.233 (top manual). Neste caso só há uma solução a adotar: majorar o valor da tabela FIPE para garantir um valor mínimo aceitável no caso de um sinistro. Convenhamento que esta não deveria ser a solução mais correta.

Eis o e-mail encaminhado à FIPE pelo nosso colega Marcelo Siqueira a respeito deste tema:

“Prezados, bom dia!

Venho através deste sugerir que o preço médio dos modelos KIA NEW CERATO (ano 2009 modelo 2010 em diante) fossem separados conforme catálago da montadora que possui 5 (cinco) versões do referido modelo no Brasil, assim como já é feito no caso de outras montadoras como FIAT, VOLKSWAGEM, CHEVROLET, HONDA, TOYOTA etc.

Isso se deve ao fato de proprietários de modelos Top de linha e intermediários (principalmente o modelo com transmissão mecânica) como eu se sentirem lesados quando da contratação de um seguro e revenda do veículo visto que a renomada tabela FIPE é tida como referência nestes assuntos.

Atualmente o modelo NEW CERATO é tratado apenas como: CERATO 1.6 16V Mec (código FIPE 018054-8) e CERATO 1.6 16V Aut. (Código FIPE 018064-5)

Se verificarem no site do fabricante (www.kia.com.br) poderão constatar que há diferenças significantes entre os modelos o que certamente infuenciam nos preços de mercado, visto a diferença entre os dois modelos citados acima (cerca de quase R$ 6.000,00, o que me leva a crer que a versão mecânica é muito influenciada pela versão de entrada denominada E.221).

A versão de entrada, hoje denominada E.221 (antiga E.201) não possui um item importantíssimo de segurança ativa que é o ABS com EBD, além de outros mimos como o ar condicionado digital automático, freios a disco nas rodas traseiras (o que os tornam mais eficientes frente aos freios a tambor da versão E.221 ou E.201) e rodas de liga leve de 16 polegadas (contra as de 15 polegadas da versão de entrada). Itens esses disponíveis na versão intermediária mecânica denominada E.222 (antiga E.202 e versão na qual possuo) e que certamente agrega valor ao veículo no mercado de usados e principalmente na contratação de seguros.

Além disso temos as versões TOP de linha, que tanto na versão com transmissão mecânica (E.233 – antiga E.213) quanto com transmissão automática (E.283 – antiga E.263), incorporam aos “mimos” das versões intermediárias as rodas de liga leve de 17 polegadas (em substituição às de 16″ das versões intermediárias) e sensores traseiros de estacionamento como itens de série de fábrica.

Tendo em vista que o automóvel em questão vem se destacando no mercado sendo hoje o segundo em vendas no seu segmento (sedãs médios), acho prudente que seja dada a devida atenção ao assunto aqui exposto, pois os concorrentes do mesmo (Toyota Corola, Honda Civic, etc.) são tabelados de acordo com suas versões.

Certo da atenção de todos e no aguardo de um retorno, desde já agradeço!

Att.

Marcelo Siqueira”

Qual é a opinião de vocês sobre o tema?

16 pensou em “Tabela FIPE: a polêmica do valor de mercado

  1. Larini

    Olá, já cansei a beleza também falando com o pessoal da FIPE. Seguem emails:

    Olá, gostaria de saber, por que, apesar do Kia Cerato possuir vários modelos, na tabela Fipe só é apresentado um.
    Obrigado.

    fipe:
    Paulo,
    Informo que isto ocorre pois estes modelo tem vários catálogos de acabamentos que já esta agregados a este cód.FIPE.
    Att,
    Eduardo Lima.

    Eu:
    Oi Eduardo, não entendi sua resposta.
    Por exemplo,
    O Renault Logan temos: Authentique, Expression e Privilege. Que está devidamente separado na Fipe.
    Já o cerato tem os modelos e201, e202, e253… que não tem na fipe.
    Estou tendo dificuldades com o seguro pois estão avaliando meu carro por um modelo que não é o meu.

    FIPE:
    Paulo,
    Informo que E201, E202 ou E253 são catálogos de acabamento não são versões como Authentique, Expression e Privilege.
    Att,
    Eduardo Lima.

    EU:
    Oi Eduardo, me desculpe, mas não consigo entender, pois essas versões da Renault também se diferem apenas por alterações de acabamento, não é verdade?
    No próprio documento que tenho do cerato trás a versão dele.

    FIPE:
    Paulo,
    Acabamento é diferente de versão.
    Att,Eduardo Lima.

    aí cansei..

    Responder
    1. Alexdias

      Exatamente. Pra mim, a culpa é da própria KIA que não diferencia os modelos como a maioria das marcas. Os modelos deveriam ser diferenciados por siglas (SX, EX, LX, colocando, inclusive, os logotipos na tampa do porta-malas) e não apenas por códigos internos de venda.

      Responder
  2. julio cesar

    nossa, o pessoal da fipe é tenso heim…

    e se todos nós enviarmos e-mails para eles nessa semana pedindo a separação dos modelos?

    eu gostaria de achar o modelo certo do meu cerato na fipe, porém as versões superiores que sofrem com esse tipo de classificação.

    complicado !!!

    Responder
    1. Marcelo Siqueira (Contagem/MG)

      Acho válida sua idéia Julio. Se juntarmos uma quantidade considerável de proprietários insatisfeitos com esse assunto e nos organizarmos para enviar os e-mails (padronizando o título do assunto, data e hora de envio, etc.) tenhamos um retorno positivo da FIPE. Inclusive sugiro copiarmos a própria KIA do Brasil através do e-mail do SAC, quem sabe conseguimos um apoio da mesma?!

      Fica aí a dica do Julio!

      Responder
  3. Marcelo Siqueira (Contagem/MG)

    É desanimador ver um automóvel que comprei por R$ 58.000,00 em ABR/2010 avaliado em R$ 46.085,00 após um ano de uso, ou seja 20,54% de depreciação em apenas 01 ano. Corrigindo: R$ 45.024,00 (depreciação de 22,37%…aff) de acordo com a cotação de hoje!!!! Já somo lesados pelas seguradoras que excluem da cobetura de suas apólices itens como rádio, rodas de liga leve, bancos em couro, etc., ainda que originais de fábrica e de série, por considera-los acessórios e ainda tem uma tabela de referência que joga o valor lá pra baixo!!! Não dá né! Sem falar no caso de revenda, porque carro só tem valor (ainda que usado) na hora da compra, para venda arrumam mil desculpas para oferecem valor abaixo de tabela.
    Sabemos que esse valor da FIPE para o Cerato Mec. está sendo influenciado pela promoção que algumas revendas estão fazendo no modelo de entrada E.221 (E.201 ou ainda EX.1) que está sendo ofertado a R$ 49.900,00.
    Quem sabe a FIPE prefira que os modelos sejam classificados assim:
    E.221 (antiga E.201) = EX.1
    E.222 (antiga E.202) = EX.2
    E.233 (antiga E.213) = SX.2
    E.273 (antiga E.252) = EX.3
    E.283 (antiga E.263) = SX.3

    A explicação dada ao Larini é absurda e sem embasamento técnico!
    Se versão se referisse apenas ao conjunto mecânico, porque CIVIC é tabelado como EX, EXS, LX, LXL, LXS, o CITY como DX, EX, EXL e LX dentre outros milhares de modelos!
    De acordo com a resposta dada ao Larini o CITY, por exemplo, deveria ser tabelado apenas como CITY 1.5 16V MEC. e CITY 1.5 16V AUT. não acham?? Haja paciência né!!!!
    Quem sabem se juntarmos forças, consigamos fazer com que a FIPE mude sua posição???

    Abraço a todos
    Att.
    Marcelo Siqueira

    Responder
  4. Luiz Eduardo

    Eu acredito que seja um problema da KIA também. Eles deveriam brigar por isso com a FIPE. Afinal, quando as pessoas verificarem que o Cerato perde muito valor de mercado, vão optar por outras marcas.
    Sugiro que o próprio Thiago envie um e-mail para a Kia do Brasil em nome do site e dos seus usuários (nós) solicitando providências. Se não as tomarem, concordo com que todos enviem e-mail para a FIPE e para a KIA. Além disso, podemos reclamar em outras instâncias, como Revista 4 Rodas, site Reclame Aqui, etc.

    Responder
  5. ftrevenzolli

    Também acho absurdo, mas acho que só altera isso se a Kia, a exemplo da Honda fixar na traseira um pequeno emblema da versão aí fica: EX , SX aí por diante. Está correto o Marcelo Siqueira, sempre tive carros da Honda e é assim mesmo: LX, LXS, EXS e isso foi suficiente para ter preços diferenciados. Comprei meu primeiro Cerato SX 6m (conforme nota fiscal que não especifica que é automático) para experimentar, estou gostando e sei que históricamente, carro importado perde mais valor que nacional, mas se a perda for muito acima do normal, na próxima troca volto para os nacionais. Fica aí o recado para o Sr. Gandini melhorar isso – acho que a descrição na nota fiscal resolve tudo, pois comparei a nota fiscal do Cerato com a do Civic (2008) e a do segundo diz honda/civic/lxs-at flex e no corpo vem todos os itens que compõem a versão do carro.

    Responder
  6. Edemilton

    Boa tarde!

    Compreendo a preocupação de todos no post, e acho que a sugestão de cobrança em massa para alterações imediatas pode funcionar. Mas acho que isso terá mais efeito, se feito diretamente à Kia do que à própria Fundação de Pesquisa.

    Vale ressaltar que a Tabela Fipe, é uma pesquisa de mercado feita a nível nacional, e tem sido utilizado como indexador para tudo que se refere ao Comércio em geral.

    Foi pensando nisso, que resolvi pegar o modelo E272 na época. Até mencionei isso em um dos comentários feito no meu depoimento (DEPOIMENTO DE PROPRIETÁRIO XXVII). É que com o desconto que recebi da concessionária, adquiri o veículo zero KM pelo preço do usado com mesmo ano.

    Minha visão estava voltada lá no futuro… Na revenda.

    Como alternativa sobre as questões do seguro, muitas das companhias de seguro permitem alterar o fator de indexação em caso de sinistro – é claro que isso também acresce o valor do prêmio – por exemplo, no meu caso, o meu fator de indexação é o da Tabela FIPE + 10%, com intuito de ver protegido também os acessórios investidos no veículo.

    Talvez essa seja a alternativa, para resolver o problema com o seguro, para compensar o valor de compra do E283 em relação ao E272 ou E273 (exemplo). Bastando contratar um percentual que eleve o valor de eventual indenização, ao valor que melhor se aproxime daquele de compra.

    Entretanto, não sei se igual sorte haverá na hora da revenda.
    O logista sempre acha que os acessórios a mais, só valem alguma coisa quando o carro é deles. Pois quando você revende, isso não acresce nenhum pouco no valor.

    Apoio o movimento e me prontifico.

    Abraços.

    Responder
    1. Marcelo Siqueira (Contagem/MG)

      Edemilton,

      Até concordo com vc. Sempre fiz os meus seguros (independente do veículo) com o máximo permitido além da tabela FIPE (já consegui seguros com até 120% da FIPE). No caso do Cerato está com 110% que foi o limite aceito pela Mitsui. Só que ainda sim, acho um absurdo receber aproximadamente R$ 49.000,00 por automovel com apenas 1 ano de uso sendo que este custou quase R$ 58.000,00, melhor, tirando os bancos de couro R$ 56.900,00 pelo E.202 que aliás ainda é o valor da versão equivalente hoje, a E.222.
      Uma depreciação de 20,87% só no primeiro ano de uso. Que adquiriu as versões E.201 / E.221 e E.252 / E.272 estão amplamente cobertos, mas que adquiriu as demais, principalmente as TOP’s estão sendo amplamente prejudicados!
      Imagine quem comprou a versão TOP E.263 por quase R$ 65.000,00 ter seu carro valorizado a R$ 53.089,00 (são -18,90% contra -14,23% da versão E.252) após um ano??

      Responder
      1. Edemilton

        Você tem toda razão Marcelo.

        Não há o que justifique essa perda. Na verdade, a minha idéia foi apenas no sentido de amenizar um pouco.

        Há muito tempo – aproximadamente 12 anos – que elejo como primeiro consultor para assuntos automobilísticos o meu corretor de seguros. Ele já me fez desistir do VW/Parati por ter custo muito alto, etc.

        E esse, foi – sem dúvida – um peso muito grande na hora de adquirir meu cerato E272. Não estou julgando ninguém, mas é que muitos não fazem essa análise na hora da compra… Então o jeito é remediar depois.

        Sou solidário a todos que estão nessa situação (pois também já estive). Agora, um pouco mais escolado de tanta perda financeira, aprendi um pouco e graças a Deus pude incentivar outros amigos a ter esse mesmo cuidado na hora da compra.

        Até vale a dica. Pondere sobre este tópico com o vendedor na hora da compra, quem sabe, ele não tem um desconto maior para a compra do E233 ou do E283 em função dessa perda.

        Boa noite a todos.

        Responder
  7. KaKay

    Pô, me tocaram terror! Acabei de adquirir um Cerato E.233 e não me liguei nessa parada, pois ao fazer o seguro, me foi confirmado pela corretora que em caso de PT dentro de 6 meses meu prêmio seria no valor de carro zero km, valor este que consta na nota fiscal. Segunda feira vou pegar o carro e visitarei a corretora para tirar essas dúvidas! I’ll be back!

    Responder
  8. fabiana

    Gente isto não ocorre só com o cerato, mais também com o Kia Soul.
    Quase comprei um, adoro aacho lindo, ja estava tudo acertado era so assinar o contrato, foi qdo meu marido pediu a cotação do seguro e a porto seguro informou que so cobreria 51mil que era a versão cadastrada na tabela FIPE, e o valor da nota que eu iria pagar seria de 61mil, no novo modelo 2012.
    o seguro iria ficar mais 600reais a mais para incluir acessórios de serie e mesmo assim so iria valer por 3 meses…
    conclusão cancelei a venda.

    Responder
  9. Sebastiao

    Alguém por acaso já pensou em entrar com alguma ação judicial pedindo a intervenção da Justiça, pois pelo que eu li do Larini acima me parece que há conflito de interesse dentro da instituição Fipe.

    Responder
  10. Anderson

    Bom dia amigos. Tive o meu Cerato roubado, modelo SX3 2011, e para minha desagradável surpresa, o seguro pagou R$ 41.800,00,
    o valor do mesmo modelo é de R$ 50.000,00. Pois com a FIPE não adianta brigar, estou entrando na justiça contra a seguradora, vamos ver o que vai acontecer, acho que todos tem que ir até o PROCON. Com certeza isto é uma safadeza, pois o valor do seguro é feito em cima do valor da nota fiscal, no meu caso paguei R$ 60.000,00 em 2011, logo se o valor do seguro muda de valor de nota do SX3 para o SX1, tem que ter diferença no reembolso em caso de perda total. E mesmo assim se não haver todos os modelos da na FIPE, o problema não é do consumidor, quando você faz seguro de algo, ele tem que te dar outro “igual”, é um principio básico.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *