OS ELEITOS 2011 (Revista QUATRO RODAS): Coment

Praia do Chapadão (Pipa / RN)

O texto abaixo da QUATRO RODAS, postado pelo nosso colega Marcley Dantas, justifica as razões da vitória do Cerato entre os sedãs médios na edição 2011 de OS ELEITOS:

1º Kia Cerato 101,2

Os Elogios: Rapidez de arranque, preço de revenda e consumo rodoviário.
As Críticas: Preço das peças e estabilidade.

O aumento das vendas do Cerato no ultimo ano fez com que ele figurasse entre os 40 mais comercializados do país, condição suficiente para que entrasse em Os Eleitos – e que estreia! Na sua primeira vez, o sedã abocanhou a taça na categoria dos sedãs médios, uma das mais disputadas da pesquisa. Não é fácil logo na chegada colocar para escanteio Toyota Corolla (foi o grande campeão em 2010) e Honda Civic ( outro GC, em 2010).

O Cerato foi mais longe: manteve-se bem a frente do vice-líder do segmento, com 3,2 pontos. Uma rápida olhada nas respostas dos entrevistados ajuda entender o que tanto agrada nesse coreano: ele superou os outros sedãs em 16 das características pesquisadas, enquanto o Civic ganhou apenas em três e City e Corolla ficaram só com duas cada um. Destaque para rapidez de arranque (108,8 ante 103,9 da média do grupo), preço de revenda (103,9 x 97,6), consumo rodoviário (102,2 x 97,8), modernidade do projeto (101,5 x 99,4) e preço de compra (100 x 90,5), entre outros. De negativo, só dois aspectos: pior foi o preço das peças (87,7 x 91,5), seguido pela estabilidade nas curvas (97,7 x 98,5).”

Fonte: Revista Quatro Rodas – Edição 625 Dezembro de 2011 – Texto Zeca Chaves, Ensaio Fotográfico Marco de Bari , Design Leticia Haag Berndt e Ilustração Marcus Penna”

6 pensou em “OS ELEITOS 2011 (Revista QUATRO RODAS): Coment

  1. Rodolfo

    Devido a acontecimentos recentes, pude perceber com bastante clareza os motivos que levaram o Cerato a vencer “Os Eleitos”. Há um mês, meu Cerato foi roubado. Após alguns dias, já perdendo a esperança de reencontrá-lo, começei a procurar outro para substitui-lo. Nas concessionárias onde fui, simplesmente não havia Cerato para venda, já que todo o estoque havia sido vendido devido ao próximo aumento do IPI.
    Assim, comecei a procurar outras alternativas de preço igual ou maior, que tivessem linhas atuais. Fiz test-drive em vários carros: New Fiesta (barulhento e apertado), Focus Hatch (lento, mas um bom carro), Fluence (o cambio CVT foi uma decepção, o carro parecia 1.0, aperto para pernas e cabeça no banco traseiro), Civic (não notei diferença de qualidade que justificasse R$ 10.000,00 de diferença de preço, já com o esperado aumento de 15% devido ao IPI), 408 (bom e belo carro, não entendo porque vende tão pouco) e outros que nem valem a pena comentar.
    Alguns dias depois, meu Cerato foi encontrado (graças a Deus!), sem nenhum problema, apenas sem o estepe e as ferramentas. Deu para perceber detalhes que ninguém comenta nas avaliações: a lataria e a pintura são de excelente qualidade, muito superior às dos carros nacionais, não importa o quanto custem. Também notei que meu nível de exigencia subiu muito após andar tanto tempo com o Cerato.
    De todo modo, estamos de parabéns pela escolha que fizemos e vamos rezar (e votar) para que não percamos a oportunidade de continuarmos a usufluir o que há de melhor no mundo por causa de meia dúzia de politicos e montadoras inescrupulosos.

    Responder
  2. Marcelo Giacomin

    Li esses dias que a Hyundai conseguiu uma liminar inpedindo o aumento do IPI para os seus carros .. alguém sabe se isto está confirmado?

    Parece que existe um acordo entre a Korea e o Brasil que impediria esse aumento para carros vindo desse país.

    Bem .. se a Hyundai conseguiu, a Kia, tb Koreanda, consegue. Vamos ver o que vai rolar.

    Abraços.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *